Algo comum aos três hospitais e frequentemente de muitas organizações de assistência sanitária era a falta de métodos de treinamento em suporte básico à vida, que apresentava um desafio de custos e tempo além de muita variação em termos de fornecer uma competência consistente na eficácia da administração do suporte básico à vida por parte do pessoal.

Tempo de Mudanças

Estes desafios gerais que eram enfrentados nos três hospitais podem ser sintetizados no Centro Médico Mercy. Um pequeno hospital de acesso crítico composto por dois edifícios, a 40 km a oeste de Dubuque, com 1.350 funcionários, dos quais 800 requerem renovar sua certificação em suporte básico à vida bianualmente. As classes de treinamento “ao vivo" em suporte básico à vida tradicional provocaram numerosos problemas como consideráveis faltas nas sessões programadas, independente de avisos, acesso e tempo limitados para reserva de salas de aula, falta permanente de salas suficientes ou de instrutores para satisfazer as necessidades de treinamento, horários impossíveis como resultado de pessoal que trabalhava em tempo parcial e disponibilidade de turno além de um alto volume de pessoal administrativo para manter o programa em funcionamento. Ao revisar todos estes desafios no que ser refere a custo, tornou-se evidente a necessidade de priorizar a investigação de outros métodos de treinamento.

"Foi realmente um processo simples"

Após um período de tempo para avaliar as alternativas, os três hospitais adotaram a solução de HeartCode BLS. O curso de treinamento e um programa interativo de auto-aprendizagem satisfazem todos os requisitos de suporte básico à vida dos cursos para pessoal sanitário da Associação Americana do Coração (AHA).

Para implementar o programa HeartCode BLS, o Centro Médico de Boston dividiu sua equipe em dois grupos baseados na data de expiração de seus certificados anteriores. Deste modo foi criado um grupo em dezembro e um grupo em maio. Agora oferecem três dias com 12 horas de treinamento duas vezes ao ano. O pessoal realiza o curso na Internet durante o trabalho, antes de assistir a uma destas classes, nas que, posteriormente, é requerido que demonstrem suas habilidades para obter a nova certificação. Um porta-voz do centro apontou que: "A avaliação do pessoal do novo sistema foi extraordinariamente positiva. Sua implementação foi um processo realmente simples".

Melhores Resultados para o Paciente, o Pessoal e a Organização.

O Centro Médico Kettering quase dobrou suas taxas de ressuscitação de 14% (já acima da taxa de referência da AHA de 12%) para 27%, após a transição ao programa HeartCode BLS, enquanto que ao mesmo tempo se economizam quase US$ 600.000 em custos de treinamento em suporte básico à vida. Os centros médicos Mercy e de Boston também informaram sobre importantes economias além de terem alcançado uma porcentagem consistentemente mais alta de estudantes aprovados e um notável redução das tarefas administrativas e do tempo de treinamento designado.

Em palavras de um participante do programa de HeartCode BLS do Centro Médico Kettering: "Me sinto mais preparado do que necessitaria para aplicar meus conhecimentos".