O Serviço de Ambulâncias da Tasmânia (TAS) abrange 225 paramédicos operacionais em todo o estado. Ao dispor amplamente de estudantes de grau paramédico associados à UTAS, este centro de simulação baseado em Hobart é muito diferente dos dias que participantes respondiam a "exercícios de supervisão de casos”, uma lista de sintomas escrita em uma placa em branco.

Os fundos financeiros foram gerados fora do governo e a Comissão de Seguros por Acidentes Rodoviários (MAIB) da Tasmânia avançou ao financiar a infra-estrutura para todos os requisitos áudio-visuais do centro. Com o TAS fornecendo a infraestrutura, esta associação não tem financiamento em andamento para posições que sejam fornecidas pela TAS propriamente dita.

Da avaliação à experiência em estudo

O coordenador de treinamento regional Brett Gibson relata que o treinamento simulado tem sido dado com grande entusiasmo desde seu início em 2006, particularmente com relação à variedade de situações tornadas possíveis. O centro faz amplo uso de recursos sem fio dos manequins, de modo que o SimMan 3G pode ser carregado na parte detrás da ambulância em uma área dedicada a simular situações de emergência na vida real. Estes também são totalmente conectados com câmeras móveis para exibição instantânea da área de observação.

Os cursos requeridos iniciam em geral com teoria na parte da manhã ou semanalmente, seguido então com exercícios práticos para acompanhar seu aprendizado. Pessoal qualificado pode ser estimulado ao desenvolvimento profissional semanal, sendo mais uma experiência profissional e maior que um curso de graduação.

Uma nova perspectiva na aprendizagem

Um foco para o centro está em estabelecer um programa regular de treinamento para pessoal qualificado, muitos dos quais têm anos de experiência prática e sem muito treinamento “virtual”. “É uma grande diferença (para o pessoal) o modo que treinamos e instruímos”, observa Gibson. “Não é mais uma discussão face a face sobre o cenário. Temos demonstrado isto. Algumas pessoas acham isto realmente estimulante e outras um grande confronto.” Reforçando o treinamento, baseado no cenário,  o desafio para o pessoal é demonstrar seu conhecimento com um manequim que reage de forma real.

Mudanças no ar

Gibson vê o centro de simulação como um início de mudanças no modo como o treinamento é dado no TAS. Estudantes têm sido beneficiados instantaneamente a partir do treinamento, e em um caso, uma simulação de acidente rodoviário foi completada e no dia seguinte, a mesma situação ocorreu na vida real. “Como resultado, eles atuaram brilhantemente e ganharam uma grande dose de confiança deles mesmos e de seus pares”, disse.

Um centro de simulação está sendo desenvolvido atualmente no norte da Tasmânia, sendo esperado que este centro expanda seu escopo e tenha um foco em ambulâncias utilizando um SimMan 3G e estrutura de simulação para uma configuração real. Gibson acredita que o treinamento em simulação está decolando no estado e espera que com a adição de mais cursos para equipes médicas, mais pessoas possam ver os benefícios disto. ”Uma vez que você retira a tensão da avaliação e apenas foca na experiência, isto fornece grandes oportunidades de treinamento”.