Por Matt Orr, Oficiais e Praças
Edição do Pacífico, 3ª feira, 6 de abril de 2010

CAMP HANSEN, Okinawa – Suas pupilas podem dilatar. Eles podem reproduzir modos anormais de respiração. Eles podem sangrar e ainda entrar em choque.

Elas também podem ajudar a salvar vidas.

Isto é algo que um manequim pode oferecer, mas o pessoal do recém inaugurado centro de simulação de feridos da III Força Expedicionária Marítima está confiante em sua technologai de última geração.

“São manequins sem fio e sem cabo que podem simular qualquer ferimento de batalha que ocorra,” o instrutor suboficial de 1ª classe Jeremy Dunlap disse durante o último dia de um curso de combate e salvamento de vida para fuzileiros navais.Marines and sailors from Special Operations Training Group work on a manikin that is able to replicate real life day of testing for a weeklong course designed to reinforce and teach battle injuries. The SOTG Marines and sailors were undergoing their final life-saving skills they may encounter on a battlefield.

Os manequins SimMan 3G custam $ 85.000 cada. Eles são a ferramenta principal de treinamento no centro, que abriu em setembro. Aulas com manequins começam em fevereiro, dizem os oficiais.

O centro é o primeiro na marinha e nos fuzileiros navais a utilizar os manequins SimMan 3G para treinamento, dizem os oficiais. O exército também os utiliza.

“Se você der a um rapaz no campo um cartão [de cenário médico], ele olha para você como se estivesse paralisado de medo,“ disse Mark Kane, um instrutor que se retirou da marinha após servir 25 anos como oficial naval médico. “Com isto, você obtém uma experiência real de treinamento. Esta idéia diz tudo.”

Enquanto os estudantes estão trabalhando, os instrutores podem mudar os sinais vitais dos manequins, fazendo os estudantes reagirem rápido, disse Kane e Dunlap.

“Ensinamos os marinheiros em três ferimentos principais de guerra - [perda de sangue], lesões no peito e administração das vias respiratórias,” disse Dunlap, explicando que um oficial naval médico nem sempre está disponível. “O curso é designado para criar confiança nos marinheiros antes deles terem que 'grudar' em seus companheiros.”

“O treinamento é muito real,” disse o sarg. Jasper Ryan, que tem experimentado o treinamento e ficará logo de prontidão. “Serão salvas definitivamente vidas no campo de batalha."

Utilizado com permissão de oficiais e praças © 2010 Oficiais e Praças. Fotos de Matt Orr / Oficiais e Praças

(Foto superior) Suboficial de 1ª classe Jeremy Dunlap (esquerda) e oficial naval médico reformado Mark Kane (segundo a partir da esquerda) dão instruções a fuzileiros navais e marinheiros do Grupo de Treinamento de Operações Especiais após terem concluído o treinamento em um manequim durante um cenário de simulação médica.

(Foto central) Fuzileiros navais e marinheiros do Grupo de Treinamento de Operações Especiais atuam em um manequim que é capaz de reproduzir a vida real em dia de teste para um curso de uma semana projetado para intensificar e simular ferimentos em batalhas. Os fuzileiros navais e marinheiros do Grupo de Treinamento de Operações Especiais são submetidos às habilidades finais no salvamento de vidas que podem encontrar em um campo de batalha.

(Foto inferior) Suboficial Petty de 1ª classe Jeremy Dunlap (esquerda) dá instruções aos fuzileiros navais e marinheiros do Grupo de Treinamento de Operações Especiais após terem concluído o treinamento em um manequim durante um cenário de simulação médica. Os manequins são capazes de reproduzir reações da vida real.