A tensão e a prática de habilidades fundamentais de enfermagem foram reais. Entretanto, o paciente não. Ele era o SimMan®, representando o paciente em um exercício de simulação clínica no qual os estudantes examinaram em seus primeiros meses de treinamento em enfermagem.

A simulação clínica é uma estratégia de ensino que imita fatos inesperados na prática da enfermagem, permitindo os estudantes experimentar situações reais do ambiente fora da sala de aula ou da arena clínica. A meta é aperfeiçoar as habilidades do paciente utilizando cenários envolvendo equipe médica, pacientes e membros da família.

“Os estudantes esperam se empenhar em cenários reais enquanto aprendem como ser um enfermeiro,” explica Kathryn Shaffer, RN, MSN, uma instrutora que ensina fundamentos de enfermagem e segurança do paciente na Escola de Enfermagem Jefferson. “A simulação clínica fornece um modo para eles adquirirem e praticarem habilidades essenciais de enfermagem, avaliações e técnicas de comunicação.”

Os estudantes da Escola de Enfermagem Jefferson têm seus primeiros exercícios de simulação clínica nas primeiras semanas do semestre. São focalizados na segurança, temas éticos e erros de medicação e “levam a beira de suas ansiedades”, compartilha a Sra. Shaffer. Um estudante declarou, “Foi uma grande atividade de aprendizagem prática que me fez entender melhor e executar cada precaução de segurança que necessitava ser tomada.” Um outro afirmou, “Foi um grande modo de nos preparar para nosso primeiro dia de clínicos.”

Mesmo após terem alguma experiência no ambiente clínico, existem algumas coisas, como receber uma ordem verbal de um residente, que os estudantes podem não experimentar até se graduarem e estiverem desempenhando. A simulação clínica oferece um ambiente seguro para estudantes terem uma variedade de situações inesperadas enquanto aprendem habilidades básicas.A student talks to a standardized patient portraying the patient's wife.

Os estudantes da Escola de Enfermagem Jefferson têm uma segunda simulação no fim do seu primeiro semestre. O cenário segue a admissão de um paciente da sala de emergência passando pela cirurgia e finalmente a alta. Geralmente, os estudantes não passam por todo este ciclo com pacientes. Este exercício também inclui um paciente padronizado, uma atriz treinada para representar a esposa do paciente.

Enquanto grupos de estudantes passam por mudanças ao participar em diferentes estágios do cenário, o restante da classe os observa pela imagem transmitida no vídeo e juntam-se em discussão conduzida por um membro da faculdade sobre práticas baseadas em evidências.

Após estas cenas, cada grupo encontra-se com instrutores para resolver problemas, fazerem auto-reflexão e identificarem áreas para aprendizagem contínua. Este debate é mantido em um ambiente privado e não intimador, onde ocorre uma troca mútua de informações.

Na resposta da avaliação, uma estudante disse que a experiência mostrou o quanto ela aprendeu em menos de um semestre e a ajudou a descobrir quais habilidades necessitam mais trabalho. Além disto, “passei realmente um tempo divertido fazendo isto”. Outros acrescentaram com sentimento e solicitaram mais oportunidade para treinamento prático de simulação.

“Todo o treinamento de enfermagem visa promover o aumento da confiança e da competência no ambiente clínico,” disse a Sra. Shaffer. “Não sabemos se a simulação traduz o aumento da competência clínica, mas sabemos o que estudantes dizem; isto os auxilia a integrar conceitos e habilidades de enfermagem.”

Conforme visto no StuNurse, o diário mais amplamente lido e confiável alcança todas as escolas e estudantes de enfermagem nos EUA. Utilizado com permissão da Publishing Concepts, Inc.